Acções do Documento

Sociedades de Capital de Risco

    • A permanência na empresa é temporária (horizonte de médio e longo prazo) e tipicamente minoritária no capital social de uma nova empresa;
    • Financia em parte a nova empresa, mas enquanto sócia ou accionista, incorrendo em todos os riscos de negócio;
    • A sua participação suporta-se na perspectiva de valorização do negócio;
    • Visa apoiar o desenvolvimento e crescimento da empresa. Trata-se de um parceiro empenhado com alguma intervenção na própria gestão da empresa;
    • Asseguram o suporte financeiro do desenvolvimento da empresa, um apoio de gestão sob a forma de consultadoria, assim como o acesso a uma vasta rede de contactos;
    • É compensada pela valorização da sua participação, isto é, da venda e da mais-valia gerada por recurso à venda da sua participação aos empreendedores ou a investidores externos.


Como fazer o desinvestimento (a saída) da Sociedade de Capital de Risco?:

              • Venda da participação aos seus antigos titulares - normalmente esta possibilidade é logo negociada aquando o investimento inicial mediante contratos-promessa;

              • Venda da participação a terceiro – sejam estes investidores tradicionais (e.g., banca, sociedades financeiras), sociedades de capital de risco ou a qualquer outro investidor interessado;

              • Venda da participação na bolsa de valores – panorama pouco frequente no contexto nacional.


Bibliografia:

Ferreira, M.P., Santos, J.C., & Serra, F.R. (2008). Ser Empreendedor - Pensar, Criar e Moldar a Nova Empresa (1ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo, Lda;

SBI Consulting (s/d). Fontes de Financiamento. Acedido a 11 de Setembro de 2009.