Você está aqui: Página Inicial » Empreendedorismo » Financiamento » Meios e Fontes de Financiamento » Internacionalização
Acções do Documento

Internacionalização

 

Para a internacionalização, foram desenvolvidos vários instrumentos financeiros: a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) que oferece benefícios fiscais ; e o Fundo para a internacionalização das empresas portuguesas, que foi criado pelo governo português e várias instituições financeiras que pretendem participar em projetos de internacionalização.
AICEP- Apoios financeiros à internacionalização 

Fundo para a internacionalização das empresas portuguesas
No âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), foi introduzido um programa chamado Qualificação PME - sistema de incentivos à qualificação e internacionalização de PME, para apoiar diversos projetos de investimento, incluindo a internacionalização.
Qualificação PME - sistema de incentivos à qualificação e internacionalização de PME
A criação de empresas de base tecnológica é apoiada pela Iniciativa NEOTEC da Agência de InovaçãoNEOTEC - criação de empresas de base tecnológica

 

O FINOVA – Fundo de Apoio ao Financiamento à Inovação – foi constituído através do Decreto-lei n.º 175/2008, de 26 de agosto, como instrumento privilegiado para a concretização dos objetivos estabelecidos no SAFPRI (Sistema de Apoio ao Financiamento e Partilha de Risco). Este programa, cujas entidades financiadoras são o Programa Operacional Fatores de Competitividade (COMPETE) e os Programas Operacionais Regionais de Lisboa e Algarve, pretende impulsionar a disseminação de instrumentos de financiamento que proporcionem melhores condições de financiamento às PME Portuguesas.
 
No âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), o Sistema de Incentivos à Inovação foi criado para apoiar os investimentos de inovação centrados na produção de novos bens, serviços e processos.

Sistema de Incentivos à Inovação

O SIFIDE II (veio substituir o SIFIDE), tem como objetivo continuar a aumentar a competitividade das empresas, apoiando os seus esforços em I&D. Ao clicar aqui, terá acesso aos incentivos fiscais.  

O Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarias II, a vigorar no período de 2013 a 2025, visa apoiar as atividades de Investigação e de Desenvolvimento, relacionadas com a criação ou melhoria de um produto, de um processo, de um programa ou de um equipamento, que apresentem uma melhoria substancial e que não resultem apenas de uma simples utilização do estado atual das técnicas existentes.

A investigação industrial e/ou o desenvolvimento pré-concorrencial também são apoiados por um sistema de incentivos à modernização empresarial, que visa reforçar a produtividade e a competitividade:

Sistema de Incentivos à investigação e desenvolvimento tecnológico nas empresas - I&DT

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) gere o programa de bolsas que financia projetos de investigação.

Projetos de investigação e desenvolvimento da FCT

As empresas que enfrentam dificuldades financeiras podem obter ajuda do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento (IAPMEI), através do seu Sistema de Incentivos à Revitalização e Modernização Empresarial (SIRME), que tenta integrar essas empresas em estruturas de maior dimensão.

Sistema de Incentivos à Revitalização e Modernização Empresarial (SIRME)

Revitalização Empresarial- O IAPMEI apoia as empresas em situação de dificuldade financeira, mas que desenvolvam negócios economicamente viáveis, com vista à sua revitalização. Para tal, são disponibilizadas a ferramenta de Autodiagnóstico Financeiro e, brevemente, a plataforma de interação com o Mediador de Recuperação de Empresas. 

O Processo Especial de Revitalização (PER) é uma plataforma à qual as empresas que se encontram em situação económica difícil ou em situação de insolvência iminente podem recorrer, em alternativa ao processo de insolvência. No quadro do processo PER estabelecem-se as negociações com os credores da empresa em situação de crise de forma a definir e acordar as referências do Plano de Reestruturação que concorram para a viabilização do processo de reestruturação da empresa.

 

Bibliografia

Portal da Comissão Europeia. Acedido em 4 de Abril de 2010, em: http://ec.europa.eu/youreurope/business/competing-through-innovation/protecting-intellectual-property/portugal/index_pt.htm