Acções do Documento

SCPOV

Serviço de Consulta Psicológica de Orientação Vocacional da FPCE-UP

CPOV1INFORMAÇÕES SOBRE AS CONSULTAS

I. Objectivo global

As Consultas Psicológicas de Orientação Vocacional (CPOV) têm por objectivo apoiar adolescentes, jovens e adultos no processo de escolha, mudança, transição e/ou adaptação a situações escolares e profissionais. Nestas consultas, o psicólogo apoia os consulentes na resolução da questão que os preocupa no imediato; para além disso, intervém sobre aspectos específicos que possam interferir negativamente na capacidade de realizar escolhas, não só actualmente como no futuro. Promove, assim, o desenvolvimento de competências psicológicas e vocacionais, essenciais à construção autónoma do projecto vocacional e à revisão frequente deste.

Coordenação Científica: Prof. Doutor Bártolo Paiva Campos

Coordenação Executiva: Dr.ª Inês Nascimento (ines@fpce.up.pt)

II. Metodologia

Na consulta, a prioridade é dada ao processo de desenvolvimento pessoal e aos acontecimentos e experiências de vida que marcam a história das pessoas (de todas as idades) e que influenciam a sua orientação ou preferência para certos tipos de áreas de conhecimento ou de actividade em detrimento de outras. Adopta-se, por isso, uma abordagem qualitativa dos factores que condicionam a(s) escolha(s) vocacional(ais), em torno dos quais se organizam momentos específicos de reflexão e de questionamento.

Em termos metodológicos, a tónica é, justamente, colocada na criação de oportunidades de exploração da relação dos indivíduos consigo próprios e com o mundo (em especial, o das formações e das profissões) no passado, no presente e no futuro.

Desta forma, privilegiam-se actividades de exploração das dimensões internas (psicológicas) e externas (sociais e institucionais) subjacentes à escolha vocacional, com recurso a meios diferentes dos usados na prática mais popular de avaliação psicotécnica de interesses e aptidões, vulgarmente realizada através do preenchimento de testes psicológicos.

Com efeito, a maioria das actividades realizadas envolvem, em vez disso, uma forte componente de experimentação, acção e contacto directo com a realidade, uma vez que se considera ser mais possível desencadear, a partir delas, a tomada de consciência de interesses ainda não explorados e, por isso, ainda não reconhecidos. Trata-se, por isso, de actividades que têm o potencial de fazer emergir hipóteses de escolha que, embora anteriormente não equacionadas, acabam por se revelar alternativas atraentes e valorizadas. Através do confronto com as condições do meio (familiar, social, económico, cultural) que facilitam ou dificultam a concretização das opções seleccionadas procura-se, igualmente, promover a capacidade dos consulentes para construir projectos realistas que resultem de um compromisso entre as suas aspirações vocacionais e as oportunidades ao seu alcance.

III. Periodicidade e duração das consultas e dos processos de intervenção

As consultas têm uma duração aproximada de 60 minutos e realizam-se, na maioria dos casos, com uma regularidade semanal ou quinzenal; em situações excepcionais, avaliadas pelo psicólogo em conjunto com o consulente, é possível a frequência das consultas ser inferior à semanal. Em média, a duração de cada processo de intervenção em consulta individual varia entre 8 e 12 consultas; na consulta em grupo varia entre 12 e 15 sessões quando se trata de jovens e entre 6 e 8 no caso de outras populações, podendo, consoante os casos, prolongar-se para além desse número.

IV. Contactos do Serviço de Consulta Psicológica de Orientação Vocacional

Assistente Administrativa: Sofia Novais

Telefone: 22 0400 600

E-mail: snovais@fpce.up.pt

Local de atendimento: R. Dr. Manuel Pereira da Silva, 4200-392 Porto

(em frente à estação do metro do Pólo Universitário)

Para mais informações, consulte o site:

www.fpce.up.pt/orientacao_vocacional (Possibilidade de inscrição on-line)